domingo, 26 de outubro de 2014

Review || "Se eu ficar" de Gayle Forman



É um livro com uma história muito cativante e viciante ao mesmo tempo, a partir do momento que comecei a ler fiquei completamente agarrada à história.

No livro conhecemos a história de Mia, a amante do violoncelo. Cada membro da família me cativou, o pai que largou a sua banda e vida de digressão de banda local para assumir a responsabilidade após o nascimento do segundo filho, uma pessoa com um humor muito apurado e cheio de estilo. A sua mãe, mãe ursa, assim lhe chama Mia, considerada uma mãe muito à frente, apesar de proteger os seus filhos ao máximo, é uma pessoa que não deixa de dizer palavrões, diz que a vida é uma merda, principalmente no nascimento do segundo filho *momentosdavida*. Teddy, o seu irmão mais novo, vê Mia como uma segunda mãe, quando era bebé só adormecia ao som do seu violoncelo, e adorava quando a irmã lhe lia o livro do Harry Potter. Teddy é uma personagem típica para a sua idade, com saídas engraçadas que proporciona momentos de riso na família.

Numa voz muito baixinha. Vezes sem conta, diz: «por favor». Por favor. Por favor.Por favor.Por favor.Por favor.Por favor.Por favor.Por favor.Por favor. Por fim , pára e olha para o meu rosto .
- Por favor, Mia - implora. - Não me faças escrever uma canção.
  - Adam.

 Mia não entende porque Adam a escolheu a ela. É membro de uma banda Shooting Star, é popular, muito sociável, inteligente, e ela é apenas uma miúda muito reservada, discreta e apaixonada por violoncelo, passando horas a treinar. Adam diz que é pela forma como ela leva a música a sério e a vive intensamente, mas Mia leva tempo a aperceber-se disso.

Mia vê-se numa situação em que é ela quem decide ficar ou partir. Por um lado têm a sua família, avô, avó, primos, tias, tios, por outro os seus amigos, Kim, Adam (nanorado), Willow e  Henry (amigos dos pais de Mia), que a faz querer ficar. Por outro pensa nos meses de recuperação, de ser orfã, enfrentar uma vida de dor e que seria injusto sobreviver.
Ao longo do livro assistimos a vários flashbacks de Mia com a família, com o namorado, com a amiga Kim, cada detalhe que nos preenche o coração.

Uma das várias reflexões que pudemos ter com este livro é a importância da família e dos nossos amigos, o amor verdadeiro que uma pessoa pode ter e o verdadeiro sentido e luta da vida. Adorei o livro, muito mesmo. 

Gostaram deste tipo de post? Querem mais? Digam aqui em baixo nos comentários ♡









2 comentários :

  1. A história parece ser mesmo cativante! Adorei o teu post e acho que vou ler esse livro :)

    Estou a realizar o primeiro giveaway do meu blog, dá uma espreitadela.
    Beijinho,

    http://goldentouch-byandreiaguerreiro.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fazes bem, é muito gira a história e lê-se bem :)

      Eliminar